Carregando...
  • ESTADO AMBIENTAL E A SUA TUTELA JUDICIAL

ESTADO AMBIENTAL E A SUA TUTELA JUDICIAL

CÓD.: 418

Outros detalhes

Autor:
Ricardo Ferreira Barouch
Assunto:
Direito Ambiental
ISBN :
9788582482070
EAN:
9788582482070
Edição :
Idioma :
Português
Acabamento:
Brochura
Nº de páginas:
264
Ano da Publicação:
2020
Principais características:
E é dentro dessa perspectiva que o autor propõe o processo écoletivo democrático, com ampla participação da sociedade, para se realizar os propósitos do Estado Ambiental.
POR:
R$79,00
em até 3x de R$26,33 sem juros
ou R$79,00 no boleto

< Ver pagamento

Formas de Pagamento

Cartão de Crédito

Depósito em Conta

Boleto Bancário

CALCULE SEU FRETE
Descubra preço e prazo de entrega

Estado Ambiental e a sua Tutela Judicial

Apresentação:

A obra apresenta a terceira fase do Estado moderno – a fase ambiental, que se inicia com as conferências do clima, que foram instaladas em âmbito internacional para discutir os rumos e os desafios do planeta e da humanidade em relação aos recursos naturais e ao seu uso.
O autor considera que o momento da asserção desse Estado ocorreu na década de 1960, por meio de constatações e teorias científicas que alertaram o mundo sobre a necessidade de se ter um cuidado maior e uma nova compreensão do planeta e dos seus recursos que possibilitam a vida.
Paulatinamente, para dentro dos territórios nacionais, houve desde então proliferação de uma legislação ambiental. No Brasil não foi diferente. O ponto alto desse movimento foi a promulgação do texto constitucional de 1988, oportunidade em que o Estado Ambiental foi recepcionado sob os auspícios do Estado Democrático de Direito que, por sua vez, contribui sobremaneira para a realização da defesa ecológica de forma coletiva e democrática.
E é dentro dessa perspectiva que o autor propõe o processo écoletivo democrático, com ampla participação da sociedade, para se realizar os propósitos do Estado Ambiental. Mas não se trata apenas de processo coletivo. É preciso repensar as balizas e os limites do processo tradicional, que foi formatado para acudir interesses privados e individualistas desde o seu nascedouro.
Por isso, a obra pode ser considerada uma nova forma de pensar a instauração e salvaguarda do Estado Ambiental – o processo coletivo democrático passa a ser palco legítimo das grandes decisões da sociedade, sempre que falhar a estrutura tradicional do Estado na prevenção e na precaução da defesa ecológica.
A sociedade carece, enfim, ser convocada para participar de forma efetiva, afastando-se o velho estigma da convocação meramente figurativa no texto constitucional.

O Autor.

Mais Vendidos